Facebook
Busca
Notícias
Incêndio atinge prédio comercial na Zona Oeste de SP

Veja mais...

Primeiros Resultados da Nova Lei do PMOC

Veja mais...

Guia para Inspeção
Área Restrita
E-mail:   Senha:  

Pneumonia


Data: 16-05-2012



Da Redação, Jornal de Araraquara


Seja em casa, no trabalho ou no carro, o ar-condicionado é uma alternativa para refrescar. No entanto, o aparelho utilizado em excesso prejudica a saúde, aumenta o risco de gripe, sinusite, crises de asma, bronquite, infecções e, em casos mais graves, pode culminar em quadro de pneumonia, alerta o diretor da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, Dr. Ricardo Milinavicius.

Há quem considere o eletrodoméstico o salvador da pátria, enquanto outros são negativamente impactados, mas é inegável o frescor proporcionado pela temperatura agradável. Assim, para que não haja futuros problemas de saúde, o período de utilização do aparelho não deve exceder o período de duas horas por dia. Ultrapassado este tempo, o organismo já demonstra os primeiros indícios de complicações em razão da exposição excessiva ao ar-condicionado.

Os cílios da mucosa nasal são necessários para proteger o organismo dos agentes bacterianos. O ar frio resseca a mucosa e promove a fácil entrada de vírus e bactérias no organismo, especialmente pelas vias superiores e se encaminham diretamente ao pulmão. Logo, o grupo formado por alérgicos deve dobrar os cuidados com o uso do aparelho, qualquer estímulo pode desencadear uma crise de sinusite, por exemplo. Com ressecamento da mucosa, o corpo pede hidratação e é fundamental que o indivíduo beba muita água durante o dia. Quanto ao nariz, o uso do soro fisiológico três vezes ao dia umidifica a região danificada. O bom senso ao determinar a temperatura do ar-condicionado também é uma das medidas preventivas de doenças e o recomendado é que o ambiente não fique muito frio e permaneça entre 20 e 22ºC.


Limpeza

Assim como qualquer outro eletrodoméstico, o ar-condicionado precisa ser limpo para evitar o risco de infecções. O Dr. Milinavicius alerta para a importância da manutenção do aparelho. " Mesmo que a função do filtro seja impedir a passagem das bactérias, ele não o faz totalmente e sobra água retida nos tubos, o que favorece o crescimento de uma colônia de vírus que prejudicam a saúde" .

A principal recomendação quanto à limpeza é a troca anual do filtro e também a realização da lavagem dos dutos a cada seis meses. Para o ar-condicionado dos carros, a indicação é praticamente a mesma e o filtro deve ser substituído a cada 10 mil quilômetros. Seguindo essas indicações, é possível desfrutar plenamente o verão com o conforto do ar refrescante e sem prejudicar a saúde.


http://www.saudeempautaonline.com.br



Para maiores informações Clique aqui

Os conteúdos das matérias não refletem necessariamente a opinião do Qualindoor.




Voltar
ABRAVA - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento
Qualindoor - Departamento Nacional da Qualidade do Ar Interno

    Av. Rio Branco, 1492, São Paulo, SP, CEP 01206-001, Fone (11) 3361 7266