Facebook
Busca
Notícias
Incêndio atinge prédio comercial na Zona Oeste de SP

Veja mais...

Primeiros Resultados da Nova Lei do PMOC

Veja mais...

Guia para Inspeção
Área Restrita
E-mail:   Senha:  

LEI Nº 5714, DE 30 DE MARÇO DE 2006.


Data: 18-06-2012

DISPÕE SOBRE LIMPEZA E INSPEÇÃO DE APARELHOS CONDICIONADORES DE AR E CENTRAL DE AR CONDICIONADO, NA FORMA QUE MENCIONA E DÁ OUTRAS PROVIDENCIAS.


O PREFEITO MUNICIPAL DO NATAL, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º - É obrigatória a realização anual de limpeza geral nos aparelhos de ar condicionado e nos dutos de sistema de ar refrigerado central, de todos os prédios públicos e comerciais do Município do Natal.

Art. 2º - A fiscalização da realização de limpeza anual será efetuada pela Secretaria Municipal de Saúde, através de sua Vigilância sanitária.

Art. 3º - Serão adotadas para efeitos desta Lei as seguintes definições:

I - AMBIENTES CLIMATIZADOS: ambientes submetidos ao processo de climatização;

II - AR DE RENOVAÇÃO: ar externo que é introduzido no ambiente;

III - AR DE RETORNO: ar que circula no ambiente climatizado;

IV - BOA QUALIDADE DO AR INTERNO: conjunto de propriedades físicas, químicas e biológicas do ar que não apresentam agravos à saúde;

V - CLIMATIZAÇÂO: conjunto de processos empregados para se obter por meio de equipamentos em recintos fechados, condições especificas de conforto e boa qualidade do ar, adequadas ao bem estar dos ocupantes;

VI - FILTRAGEM ABSOLUTA: sistema de climatização que utiliza filtros classes A1 até A3;

VII - LIMPEZA: procedimento de manutenção preventiva que consiste na remoção de sujidades dos componentes do sistema de climatização, para evitar a sua dispersão no ambiente interno;

VIII - MANUTENÇÃO: atividades técnicas e administrativas destinadas a preservar as características de desempenho técnico dos componentes ou sistemas de climatização garantindo as condições previstas;

IX - SÍNDROME DE EDIFICIOS DOENTES: consiste no surgimento de sintomas que não são comuns a população em geral, mas que, numa situação temporal pode ser relacionados em um edifício em particular. Um incremento substancial na prevalência dos níveis dos sintomas antes relacionados proporciona a relação entre o edifício e os seus ocupantes;

X - PREDIO PÚBLICO: os imóveis onde estejam instalados órgãos federais, estaduais e municipais, tanto na área executiva como na legislativa e jurídica, localizados no Município de Natal;

XI - ESPAÇOS PRIVADOS DE USO COLETIVO: espaço fisicamente determinado e aberto a utilização de muitas pessoas, tais como:

a) Hospitais;
b) Bancos;
c) Salas de cinema;
d) Teatros;
e) Restaurantes;
f) Auditórios;
g) Bibliotecas;
h) Shopping Centers;
i) Lojas Comerciais; e
j) Outros.

Art. 4º - Todos os sistemas de climatização devem estar em condições adequadas de limpeza, manutenção, operação e controle, observadas as determinações abaixo relacionadas, visando à prevenção de riscos à saúde dos ocupantes:

I - Limpar os componentes do sistema de climatização, tais como: bandejas, serpentinas, umidificadores, ventiladores, e dutos, de forma a evitar a difusão ou multiplicação de agentes nocivos à saúde humana e manter a boa qualidade do ar interno;

II - Utilizar, na limpeza dos componentes dos sistemas de climatização, produtos biodegradáveis devidamente registrados no Ministério da Saúde para esse fim;

III - Verificar periodicamente as condições físicas dos filtros e mantê-los em condições de operação, substituindo-os quando necessário;

IV - Restringir a utilização do compartimento onde está instalada a caixa de mistura do ar de retorno e ar de renovação ao uso exclusivo do sistema de climatização. É proibido conter no mesmo compartimento matérias, produtos e utensílios.

V - Preservar a captação de ar externo livre de possíveis fontes poluentes externas que apresentem riscos à saúde humana.

VI - Garantir a adequação renovada do ar de interior dos ambientes climatizados, ou seja, no mínimo 27m²/h/pessoa.

VII - Descartar as sujidades sólidas, retiradas do sistema de climatização após a limpeza, acondicionadas em sacos de material residente e poroso adequados, para evitar o espalhamento de partículas inaláveis.

Art. 5º - Os proprietários, locatários e prepostos, responsáveis por sistemas de climatização com capacidade acima de 5 TR (15.000 Kcal/h = 60.000 BTU/h) deverão manter um responsável técnico habilitado com as seguintes atribuições:

I - Implantar e manter disponível no imóvel um Plano de Manutenção, Operação e Controle - PMOC, adotado para o sistema de climatização. Este plano deve conter a identificação do estabelecimento que possui ambiente climatizado, a descrição das atividades a serem desenvolvidas, a periodicidade das mesmas, as recomendações a serem adotadas em situações de falha do equipamento e de emergência, para garantia de segurança do sistema de climatização;

II - Manter disponível o registro da execução dos procedimentos estabelecidos no PMOC.

Parágrafo Único - O PMOC deverá ser implantado no prazo Maximo de 30 (trinta) dias a partir da vigência desta Lei.

Art. 6º - O PMOC do sistema de climatização deve estar coerente com a legislação de Segurança e Medicina do trabalho, assim como os procedimentos de manutenção, operação e controle dos sistemas de climatização e limpeza dos ambientes.

Art. 7º - Revoam-se as disposições em contrario.

Art. 8º - O Poder Executivo regulamentará a presente Lei em 60 (sessenta) dias, a partir da data de sua publicação.

Art. 9º - Esta Lei entra em vigor na da data de sua publicação.

Palácio Felipe Camarão, em Natal, 30 de março de 2006.

Carlos Eduardo Nunes Alves
PREFEITO


Para maiores informações Clique aqui ou envie um e-mail para pres.dn.qai@abrava.com.br.

Os conteúdos das matérias não refletem necessariamente a opinião do Qualindoor.




Voltar
ABRAVA - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento
Qualindoor - Departamento Nacional da Qualidade do Ar Interno

    Av. Rio Branco, 1492, São Paulo, SP, CEP 01206-001, Fone (11) 3361 7266