Facebook
Busca
Notícias
Incêndio atinge prédio comercial na Zona Oeste de SP

Veja mais...

Primeiros Resultados da Nova Lei do PMOC

Veja mais...

Guia para Inspeção
Área Restrita
E-mail:   Senha:  

Tecnologias De Tratamento In Situ


Data: 30-06-2012

A principal característica de muitas tecnologias de tratamento in situ é a entrega e recuperação de líquidos ou outros reagentes para o subsolo. A capacidade de controlar e monitorar a entrega e recuperação destes fluidos ou reagentes é central para a eficácia da tecnologia in situ no tratamento da contaminação. Dependendo das condições do subsolo e as características dos contaminantes, cada tecnologia in situ tem seus benefícios e limitações da sua capacidade para eficazmente entregar, controlar, e recuperar fluidos administrados e / ou reagentes e os contaminantes. A Tabela 1 apresenta um resumo geral da eficácia das tecnologias para as classes de contaminantes diversos .

1- Extração de vapor do solo
In situ do solo de vapor de extração (VED) é uma tecnologia de reparação em que o vácuo é aplicado para induzir um fluxo de ar controlado no subsolo para remover os compostos orgânicos voláteis (VOCs) e alguns compostos orgânicos semivoláteis (SVOCs) a partir da zona não saturada (zona insaturada) para a superfície para o tratamento.
A configuração do sistema envolve geralmente sopradores anexados aos poços de extração que são geralmente construídos com cloreto de polivinilo ranhurada (PVC) para induzir o fluxo de ar através da matriz do solo. O ar contaminado é trazido à superfície e passa ​​através de um separador de vapor / líquido para remover qualquer umidade antes de o ar ser tratado. O tratamento é geralmente feito por meio de adsorção (carvão ativado), ou para maior quantidade vapor de resíduos concentrados, por sistemas de oxidação térmica. A água gerada pelo separador de líquido pode também necessitar de tratamento (Figura 1).
Asfalto, concreto, geomembrana, ou outras tampas de baixa permeabilidade são muitas vezes colocadas sobre a superfície do solo para evitar curto-circuito do fluxo de ar e para aumentar o raio da influência dos poços de extracção. Ar de substituição pode ser introduzido...


Para maiores informações Clique aqui

Os conteúdos das matérias não refletem necessariamente a opinião do Qualindoor.




Voltar
ABRAVA - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento
Qualindoor - Departamento Nacional da Qualidade do Ar Interno

    Av. Rio Branco, 1492, São Paulo, SP, CEP 01206-001, Fone (11) 3361 7266