Facebook
Busca
Notícias
Incêndio atinge prédio comercial na Zona Oeste de SP

Veja mais...

Primeiros Resultados da Nova Lei do PMOC

Veja mais...

Guia para Inspeção
Área Restrita
E-mail:   Senha:  

Bactéria legionella suspende tratamentos termais nas Caldas


Data: 22-07-2012

Os tratamentos no Hospital Termal das Caldas da Rainha estão suspensos devido ao aparecimento da bactéria legionella nos sistemas de adução e distribuição, detetada na sequência das análises à água mineral natural não cumprirem os parâmetros microbiológicos legalmente exigidos. Segundo Carlos Sá, presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar Oeste Norte (CHON), que gere o Hospital Termal Rainha D. Leonor, “foram já implementadas as medidas para o despiste e correção deste cenário, não sendo, contudo, possível determinar a data precisa de reativação dos tratamentos termais”.


Fonte: Jornal de Alcobaça / Francisco Gomes


A suspensão da atividade do hospital termal envolve a área de hidrobalneoterapia, mantendo-se em funcionamento as restantes atividades, nomeadamente o internamento de ortopedia, as consultas de psiquiatria e os tratamentos de medicina física e de reabilitação.
No dia 29 de junho os tratamentos tinham sido suspensos “por ter sido detetada uma avaria nos permutadores de calor (que permitem aquecer a água que é colhida por volta dos 34 graus para 50 graus e depois baixar para os 40 graus em que é distribuída)”.
Mesmo com a avaria no sistema de aquecimento e arrefecimento da água foram mantidas as análises, efetuadas no dia 3 de julho. Dois dias depois conheceram-se os resultados e foi decretada a suspensão dos tratamentos.
O presidente do CHON garantiu que “não havia nenhuma suspeita anterior”. “O que parece é que há uma relação direta entre avarias em equipamentos e depois o aparecimento de contaminações”, revelou.
Os tratamentos termais no Hospital Termal também estiveram suspensos entre 5 de janeiro e 27 de fevereiro, para manutenção anual das estruturas técnicas.
Na ocasião a administração do CHON anunciou que iria antecipar a habituais “intervenções corretivas nas infraestruturas técnicas”, por em alguns pontos de utilização terem sido identificados “parâmetros microbiológicos que aconselham as referidas intervenções”, nomeadamente a deteção de legionella nas águas.


Para maiores informações Clique aqui

Os conteúdos das matérias não refletem necessariamente a opinião do Qualindoor.




Voltar
ABRAVA - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento
Qualindoor - Departamento Nacional da Qualidade do Ar Interno

    Av. Rio Branco, 1492, São Paulo, SP, CEP 01206-001, Fone (11) 3361 7266