Facebook
Busca
Notícias
Incêndio atinge prédio comercial na Zona Oeste de SP

Veja mais...

Primeiros Resultados da Nova Lei do PMOC

Veja mais...

Guia para Inspeção
Área Restrita
E-mail:   Senha:  

Cuidado com o olho seco


Data: 09-12-2012



Lipener ressalta a importância de se fazer um diagnóstico correto | Foto: Luiz Fernando Menezes

Síndrome muito comum nos dias de hoje prejudica a visão. Saiba como tratar problema

POR FERNANDO BARBOSA

São Paulo - Você foi correr ou passou muitas horas na frente do computador, dirigiu se protegendo do calor com os vidros fechados e o ar-condicionado ligado. E há algum tempo anda com os olhos vermelhos, com sensação de ardência, coceira e um lacrimejar que incomoda. Cuidado. Você pode ser mais uma vítima da ‘Síndrome do Olho Seco’, que atinge cerca de 7 milhões de adultos brasileiros, 65% dos quais já diagnosticados, segundo estimativa do Instituto Kantar Health.

A síndrome se caracteriza pela deficiência da lubrificação da córnea, causada por problemas na produção da lágrima ou por fatores externos que provocam a evaporação. O modo de vida moderno contribui decisivamente. Diante das telas de computadores e smarthphones, piscamos menos e prejudicamos a lubrificação dos olhos.

A deficiência na lubrificação pode ser causada por outros distúrbios oftalmológicos, baixa umidade do ar, uso de lentes de contato, ambientes com ar-condicionado, entre outros fatores. Seja qual for a origem, o importante é buscar a orientação de um oftalmologista, como destaca o médico César Lipener, presidente da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratrometria (Soblec) e chefe do setor de lentes de contato da Escola Paulista de Medicina (Unifesp).

“É importante buscar o diagnóstico para usar o produto correto”, alerta o especialista. Ele diz que existem testes objetivos para testar a qualidade e a quantidade da lágrima.

Colírios, só com receita médica

Muitas vezes, as pessoas recorrem a remédios caseiros ou usam o colírio de ‘um amigo ou parente’, ou até outro indicado para uma conjuntivite anterior. “Esses produtos podem até prejudicar”, adverte o médico. Nem o soro fisiológico é recomendado, pois tem sal e conservantes que podem irritar ainda mais o olho.

Uma vez instalado o quadro de ‘olho seco’, o tratamento é feito com a aplicação de lubrificantes lacrimais artificiais. Existem vários produtos à base de sal sódico do ácido hialurônio, como o hylo-comod e hylo-gel, lançados recentemente. São colírios livres de prescrição médica que trazem como diferencial a embalagem projetada especialmente para impedir a contaminação. “Ele forma um filme de lubrificação e hidratação regular, estável e de longa duração na superfície ocular, que não é facilmente removível e não embaça a visão”, garante Eurico Correia, diretor médico da Pfizer.


Para maiores informações Clique aqui

Os conteúdos das matérias não refletem necessariamente a opinião do Qualindoor.




Voltar
ABRAVA - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento
Qualindoor - Departamento Nacional da Qualidade do Ar Interno

    Av. Rio Branco, 1492, São Paulo, SP, CEP 01206-001, Fone (11) 3361 7266