Facebook
Busca
Notícias
SP tem calor no fim de semana e virada do tempo no feriado

Veja mais...

Sobe para 21 o número de mortes provocadas por onda de calor no Canadá

Veja mais...

Guia para Inspeção
Área Restrita
E-mail:   Senha:  

Ar-condicionado: não se esqueça dele no inverno


Data: 16-06-2014

Por Belisa Frangione

Especialistas aconselham a utilização do item de duas a três vezes por semana e a realização de manutenção periódica

O inverno terá início no próximo sábado. Com a mudança de estação e o clima ainda seco, é provável que a utilização do ar-condicionado diminua. Mas especialistas alertam que a falta de uso do aparelho pode ser prejudicial tanto ao sistema quanto à saúde.

De acordo com o diretor-geral da Arcon, empresa de comércio e instalação de ar-condicionado automotivo, Ernesto Miyazaki, o sistema deve ser acionado de duas a três vezes por semana por pelo menos 15 minutos. “Este é o cuidado inicial que ajuda a lubrificar as partes feitas de borracha e, consequentemente, aumentar a durabilidade”, explica.

Assim como a maior parte dos sistemas automotivos, o do ar-condicionado também deve passar por revisão periódica. A cada seis meses ou dez mil quilômetros, é preciso realizar uma inspeção visual do filtro de cabine e verificar as pressões do fluido refrigerante (gás).

O filtro de cabine deve ser trocado a cada verificação, mas sua durabilidade depende do uso. “Por exemplo, um carro que roda em estrada de terra terá seu filtro de ar-condicionado trocado com mais frequência do que um modelo que roda em asfalto”, afirma o responsável pelo aftermarket da micronAir, marca da Freudenberg Filtration Technologies, Luciano Ponzio.

Segundo os profissionais consultados, o filtro com muito tempo de uso pode causar até problemas respiratórios. “Esse item recebe uma carga de matéria orgânica muito grande, como poeira, penas e folhas. Tudo isso entra em decomposição no sistema, gerando fungos, bactérias e um odor desagradável no interior do veículo”, diz Ponzio.

Porém, há alguns veículos que não possuem o filtro de ar-condicionado e exigem um cuidado redobrado. “Recomendo uma inspeção técnica seguida de lavagem do evaporador. Se possível, tente verificar se dá para adaptar um filtro de cabine para que esse serviço não seja feito com tanta frequência”, afirma Miyazaki. Além de a lavagem levar até cinco dias para ser concluída, ela costuma ser cara. “Pode custar de R$ 300 a R$ 2.500”, completa.

Cuidados básicos
Algumas recomendações podem manter o bom funcionamento do ar-condicionado e prolongar sua durabilidade:

- Antes de tudo, siga as recomendações previstas no manual do proprietário;
- Acione o sistema pelo menos duas vezes por semana por 15 minutos;
- Sempre efetue a troca do filtro e não sua lavagem;
- Evite ficar ligando e desligando o ar-condicionado com o veículo em alta rotação;
- Realize a troca do filtro do fluido refrigerante a cada dois anos.

De fábrica
Na opinião de Miyazaki, a instalação do sistema de ar-condicionado é um serviço que está com os dias contados. “A procura gira em torno de 3% a 5% e maior parte dos serviços é feito em veículos que precisam de uma adaptação especial, caso dos clássicos como Fusca e Maverick”.
Muitos automóveis já estão saindo de fábrica com o sistema. No caso de um Volkswagen up!, por exemplo, sair da concessionária com o acessório custa em média R$ 2.800.


Para maiores informações Clique aqui

Os conteúdos das matérias não refletem necessariamente a opinião do Qualindoor.




Voltar
ABRAVA - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento
Qualindoor - Departamento Nacional da Qualidade do Ar Interno

    Av. Rio Branco, 1492, São Paulo, SP, CEP 01206-001, Fone (11) 3361 7266