Facebook
Busca
Notícias
SP tem calor no fim de semana e virada do tempo no feriado

Veja mais...

Sobe para 21 o número de mortes provocadas por onda de calor no Canadá

Veja mais...

Guia para Inspeção
Área Restrita
E-mail:   Senha:  

A Legionella e o trabalho


Data: 13-11-2014

Um dos locais com maior probabilidade (ou risco) de contracção da "Legionella" é o seu local de trabalho. Diversas são as indústrias e actividades, que incorporam contextos e elementos materiais, susceptíveis de desenvolverem o perigo de contágio da "doença do legionário". Fique a saber quais são e o que fazer para se proteger.

Questões a que encontrará resposta:

1. O que é a Legionella?
2. Como se transmite?
3. Que condições materiais contribuem, ou são ideais, para o crescimento da Legionella?
4. Quais os Sintomas mais comuns?
5. Quais as pessoas mais predispostas?
6. Em que actividades, sectores e processos laborais é maior o risco de se encontrar a Legionella?
7. Que profissões ou profissionais comportam o maior risco de contágio com Legionella?
8. Como devem actuar as empresas nas quais os elementos materiais propícios ao desenvolvimento da legionella estejam presentes?
9. Que medidas de prevenção, saúde e segurança devem ser implementadas?
10. O que devem fazer os trabalhadores?

Nome: Doença do Legionário; Legionella; Legionelose

Género científico: Legionella pneumophila

1. O que é a Legionella?

A doença do legionário é causada por bactérias do género legionella pneumophila, e consiste numa pneumonia bacteriana que surge de forma aguda, podendo, nos casos mais graves, provocar a morte do seu portador.

2. Como se transmite?

A infecção transmite-se por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água (aerossóis) contaminadas com bactérias, não se transmitindo de pessoa para pessoa, nem pela ingestão de água contaminada.

3. Que condições materiais contribuem, ou são ideais, para o crescimento da Legionella?

Locais em que a temperatura da água se situe entre 20°C e 45°C;Locais com estagnação ou renovação reduzida da água;Locais com elevada concentração microbiana, incluindo algas, amebas, lodo e outras bactérias;Locais com presença de calcário, sedimentos, lama, ferrugem ou outro material orgânico;Locais, nos quais se encontrem materiais de canalização degradados, como, por exemplo, peças de borracha, que podem fornecer nutrientes para aumentar o crescimento bacteriano

4. Quais os Sintomas mais comuns?

Os sintomas mais comuns são:

· Ligeira dor de cabeça;

· Dores musculares;

· Febres altas;

· Arrepios;

· Insuficiência respiratória;

· Tosse.

Excepcionalmente, também pode ocorrer náuseas, vómitos, diarreia ou dores abdominais, mas com pouca frequência.

Regra geral, cinco ou seis dias depois de um indivíduo inalar bactérias (presentes nas gotículas de água), poderão surgir as primeiras manifestações clínicas. É o chamado período de incubação que, no entanto, pode variar entre dois e dez dias.

5. Quais as pessoas mais predispostas?

. Pessoas com idade superior a 45 anos;

. Pessoas com hábitos tabágicos e alcoólicos;

. Pessoas com doença respiratória ou renal crónica;

. Pessoas com a diabetes;

. Pessoas que tenham sido sujeitas a transplantação cardíaca e renal

6. Em que actividades, sectores e processos laborais é maior o risco de se encontrar a Legionella?

Actividades como (exemplos):

Hotéis e restaurantesEdifícios comerciaisIndústrias (torres de resfriamento e ar condicionado)ExpediçãoEscolasRecintos desportivos, piscinas de natação e recreação, spas e saunasConsultórios dentáriosHospitais e clínicas

Locais de trabalho com (exemplos):

Sistemas de água que incorporam uma torre de arrefecimento;Sistemas de água que incorporam um condensador evaporativo;Sistemas de água quente e fria;Banheiras de hidromassagem, jacuzzis e banheiras de spas;Humidificadores e sistemas de nebulização de água;Tubos de água para cadeiras de dentista;Tanques de arejamento em estações biológicas de tratamento e estações industriais de tratamento de águas residuais;Máquinas de limpeza com água a alta pressão;Outras estações e sistemas que contêm água com probabilidade de exceder 20°C de temperatura e que podem libertar vapor de água ou aerossóis.

7. Que profissões ou profissionais comportam o maior risco de contágio com Legionella?

Eis alguns exemplos:

Técnicos de manutenção de aparelhos de ar condicionado ou sistemas de abastecimento de água; Dentistas; Soldadores; Trabalhadores em instalações de lavagem de viaturas; Mineiros; Profissionais de saúde; Trabalhadores em estações industriais de tratamento de águas residuais; Profissionais da Hotelaria e restauração

No fundo, qualquer actividade na qual se esteja em contacto com aerossóis que possam levar à inalação de gotículas de água. As situações laborais em que tal pode suceder são muito diversas. Daí que grande parte do esforço deva de ser dispendido na aplicaçãod e medidas preventivas.

8. Como devem actuar as empresas nas quais os elementos materiais propícios ao desenvolvimento da legionella estejam presentes?

Em primeiro lugar, qualquer empresa nas situações anteriormente descritas, deve proceder, no âmbito das suas políticas preventivas à AVALIAÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS NO LOCAL DE TRABALHO.

A avaliação de risco é um elemento fundamental de qualquer actividade preventiva no domínio da Segurança e Saúde no Trabalho. A lei 102/2009, alterada pela lei 3/2014, no seu artigo 15.º, prevê esta actividade como uma Obrigação da Entidade Empregadora, sujeita a contra-ordenação muito grave, a aplicar pela Autoridade para as Condições de trabalho, nos casos de incumprimento.

A Avaliação de risco nesta situação consiste, em geral, nas seguintes acções:

Exame regular da qualidade da água presente nos processos industriais. Análise do estado das condutas, junções, isolamentos, etc., dos sistemas de ventilação, irrigação, arrefecimento...Análise do estado dos condensadores, termoacumuladores, ares condicionados, humidificadores, sistemas de água quente e fria ...Análise do estado de tubos, mangueiras, tanques, reservatórios...Análise do risco associado às situações de contacto humano com as fontes de risco...

9. Que medidas de prevenção, saúde e segurança devem ser implementadas?

A aplicação de medidas de prevenção é uma das Obrigações da Entidade Empregadora, prevista na Lei 102/2009, alterada pela Lei 3/2014.

Medidas de Segurança:

Eis alguns exemplos de medidas que podem ser exigidos:

Limpeza, desinfecção e manutenção das instalações e equipamentos contaminados.Colocar as entradas de ar novo longe de torres de arrefecimento de sistemas de condicionamento de ar; Evitar zonas de estagnação no sistema de distribuição de água quente e fria;Estabelecer protocolos de manutenção e desinfecção periódicas dos equipamentos que possam favorecer a multiplicação destas bactérias; Nos sistemas de distribuição de água, particularmente em grandes edifícios, e sobretudo nos que por razões de planeamento interno, encerram parcial ou totalmente em determinados períodos, a temperatura deve manter-se entre valores que dificultem a multiplicação destes microrganismos (água quente superior a 50ºC e água fria inferior a 20ºC); Uso de máscaras apropriadas pelos trabalhadores que lidam com estas instalações e/ou que são responsáveis pela sua manutenção.

Medidas de Saúde no Trabalho:

Eis algumas das medidas que têm de ser implementadas pelo médico do trabalho:

Consulta, observação e vigilância dos trabalhadores que estejam em situações mais frágeis face ao estado geral de saúde;Identificação, vigilância e acompanhamento dos trabalhadores com mais predisposição para a contracção da doença;Tomada de medidas preventivas, no domínio da coordenação da sua actividade com a do Técnico de Segurança e Saúde no TrabalhoEfectuar os exames médicos adequados aos trabalhadores com sintomas que possam indiciar a presença da Legionella no seu organismoInformação dos trabalhadores e outros agentes sobre medidas profiláticas de saúde neste domínio

10. O que devem fazer os trabalhadores?

Deveres:

Neste domínio, o trabalhador deve cumprir todas as prescrições de segurança e saúde que sejam determinadas pela entidade empregadora, com vista à prevenção da Legionella.O trabalhador pode, também, tomar medidas individuais, ao nível da sua alimentação, hábitos de saúde, etc., que possam melhorar o seu estado geral de saúde.O trabalhador deve denunciar, alertar e informar de qualquer situação que possa constituir fonte de riscoO trabalhador deve exigir que as situações reportadas sejam objecto de avaliação e tomada das medidas que se justificaremO trabalhador deve procurar evitar, afastar-se e afastar outros de situações de risco de contágioO trabalhador, no caso de incumprimento pela entidade empregadora, das disposições legais e convencionais aplicáveis, deve queixar-se, aconselhar-se e informar-se:

. No seu sindicato, através do delegado sindical

. Através do representante para a Segurança e Saúde no Trabalho

Ø Através da Autoridade para as Condições de Trabalho

. Através do Delegado de Saúde

O trabalhador deve intervir, sempre que possível, para a protecção da sua saúde e da dos seus colegas. A morte não tem cura!

Informa-te junto da tua empresa sobre quem são o Técnico de Segurança e o Médico do Trabalho responsáveis pelas medidas de Segurança e Saúde no Trabalho.

Direitos principais:

Qualquer trabalhador, neste domínio tem direito, pelo menos, a:

Informação sobre os riscos profissionais existentes, em especial os ligados à Legionnella;Ser consultado sobre possíveis situações de risco e medidas a tomar nesta situação;Formação sobre como actuar no domínio da Segurança e Saúde no trabalho, nesta caso, sobre a actuação face à Legionella;Usufruir de serviços competentes no domínio da Segurança e Saúde no trabalho;Usufruir de medidas de prevenção e protecção contra agentes biológicos no local de trabalho

Nota: todos os direitos enumerados estão previstos na Lei 102/2009 que estabelece o Regime de Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho

Procura o teu sindicato... Sindicalizado é + seguro

Link para o Guia Prático da DGS (Direcção Geral de Saúde) – A doença dos Legionários

http://www.google.pt/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=10&cad=rja&uact=8&ved=0CFYQFjAJ&url=http%3A%2F%2Fwww.dgs.pt%2Fdocumentos-e-publicacoes%2Fdoenca-dos-legionarios-guia-pratico-pdf.aspx&ei=Qt9hVOHPH9TzavixgYgN&usg=AFQjCNEJRJ7dvF6140xD_10U_q0gLOPtxg&sig2=ZTML1t4Gi-qfkvLOYpaitg&bvm=bv.79189006,d.cWc


Para maiores informações Clique aqui

Os conteúdos das matérias não refletem necessariamente a opinião do Qualindoor.




Voltar
ABRAVA - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento
Qualindoor - Departamento Nacional da Qualidade do Ar Interno

    Av. Rio Branco, 1492, São Paulo, SP, CEP 01206-001, Fone (11) 3361 7266