Facebook
Busca
Notícias
Incêndio atinge prédio comercial na Zona Oeste de SP

Veja mais...

Primeiros Resultados da Nova Lei do PMOC

Veja mais...

Guia para Inspeção
Área Restrita
E-mail:   Senha:  

Infectologista esclarece sobre a bactéria Legionella


Data: 12-01-2016



As orientações foram passadas pelo infectologista Marco Aurélio (Foto: Portal Infonet)

18/12/2015 - 09:47

Crianças e idosos estão os mais suscetíveis a contrair

Pouco se fala da Legionella, bactéria essa que segundo estimativa, mata cerca de cinco mil brasileiros por ano. Para tirar as dúvidas do que é essa bactéria, os cuidados e qual o tratamento a ser utilizado, a equipe do Portal Infonet conversou com o infectologista Marco Aurélio Góes da Secretaria Estadual de Saúde (SES). Confira a entrevista.

Portal Infonet - O que é a Legionella?
Marcos Aurélio- A Legionella pneumophyla é uma bactéria antiga e antes era conhecida como doença dos legionários que é um tipo de pneumonia que dava em pessoas que viajavam e passavam por hospedagem, em lugares quentes e que tinham fontes de água. Ela é uma bactéria que vive na superfície da água e tem característica de viver em local úmido.

Infonet- Como ela é transmitida?
M.A.- A principal característica dela é que para ser transmitida, a água precisa estar em vapor. Quando ocorre casos está muito ligado a ar-condicionado, porque causa a condensação de água ali e com isso você pode ter essa evaporização. Historicamente a gente não tem tido muito isso, mas ela é muito atribuída em área que tem fontes de água, porque quando você tem jatos de água, você pode ter essa vaporização da água, a pessoa pode inalar e com isso adoecer, mas para isso precisa ter a bactéria na água.

Infonet- Água fervida pode causar a legionella?
M.A.- Não. Porque com a fervura você já elimina essas bactérias. Está mais relacionada a fontes de temperaturas ambientes e alguns locais falam até de duchas de banho, mas fora a isso é preciso que a água esteja contaminada com uma grande população de Legionella o que não é comum. Quando a gente tem surto é porque essa bactéria conseguiu ficar ali e se multiplicar por muito tempo, porque tanto ar, duchas e fontes estão muito frequentes no nosso meio.

Infonet- Quem está mais suscetível a ter a doença?
M.A.- Qualquer pessoa, mas crianças pequenas e idosos são os mais suscetíveis porque a doença irá provocar uma pneumonia.

Infonet- Quais os sintomas?
M.A.- É uma pneumonia atípica porque dá pouca febre, tosse seca persistente e sem muito catarro, que vai evoluindo em uma piora progressiva até uma falta de ar. Mas ela pode ser confundida, já que a gente sempre pensa que tosse por mais de três semanas é uma tuberculose, mas o clínico deve estar atento a isso.

Infonet- A doença tem tratamento? Qual?
M.A.- Sim. O que muda é que é um tratamento mais prolongado e com antibiótico específico para este tipo de pneumonia. Geralmente não são os antibióticos comuns para pneumonias que trata só sete dias, precisa fazer um tratamento mais prolongado. A descoberta da doença pode ser através de um raio X. Por isso é importante as limpezas do filtro do ar-condicionado e das duchas porque a bactéria não sobrevive na água pura, mas na água suja, pois facilita a criação das bactérias.

Infonet- Qual a orientação para o uso do antibiótico?
M.A.- O uso do antibiótico é o principal fator pra gente criar a superbactéria. Se a gente usa o antibiótico, a gente já está propiciando que a gente vá ter superbactérias no futuro, por isso o uso foi restrito, mas a gente sabe que a população sempre dá um jeito e consegue tomar o antibiótico sem orientação médica.

Por Aisla Vasconcelos
Portal Infonet


Para maiores informações Clique aqui

Os conteúdos das matérias não refletem necessariamente a opinião do Qualindoor.




Voltar
ABRAVA - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento
Qualindoor - Departamento Nacional da Qualidade do Ar Interno

    Av. Rio Branco, 1492, São Paulo, SP, CEP 01206-001, Fone (11) 3361 7266