Facebook
Busca
Notícias
Incêndio atinge prédio comercial na Zona Oeste de SP

Veja mais...

Primeiros Resultados da Nova Lei do PMOC

Veja mais...

Guia para Inspeção
Área Restrita
E-mail:   Senha:  

Vigilância Epidemiológica inspeciona Hospital Geral do Estado


Data: 22-02-2016

Postado em 18/02/2016 às 21:00 por Assessoria em Saúde

Técnicos da Vigilância Epidemiológica do Estado iniciaram, nesta quinta-feira (18), a inspeção de unidades públicas do Estado para combater os criadouros do Aedes aegypti. Primeira unidade a ser inspecionada, o Hospital Geral do Estado (HGE), foi considerada unidade modelo, uma vez que não foram encontrados focos do mosquito que transmite a dengue, chikungunya e zika vírus.

Apesar de a avaliação feita pelos técnicos da Vigilância Epidemiológica ter sido positiva, a gestora da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Rozangela Wyszomirska, destacou que o cuidado deve ser constante.

“É preciso considerar qualquer potencialidade de acúmulo de água e descartar. Em recipientes que costumam conter água, o sabão e a escova são necessários para a limpeza, a fim de que sejam eliminados os ovos que o mosquito possa ter depositado”, disse a gestora da saúde estadual, que acompanhou a inspeção realizada.

Outras edificações receberão a visita surpresa dos técnicos da Vigilância Epidemiológica Estadual nos próximos dias. “A ordem é vasculhar tudo. Todos os ambientes internos, abertos ou fechados, espaços externos e telhados. Além de combater os criadouros, nós pretendemos conscientizar os servidores sobre a necessidade de combater o mosquito em casa e no ambiente de trabalho. Afinal de contas, a dengue, chikungunya e zika podem ser contraídas em qualquer lugar”, pontuou a superintendente de Vigilância em Saúde, Cristina Rocha.

Entre os cuidados adotados pelo HGE está o armazenamento e destinação adequados do lixo, mantendo-o em recipiente fechado, combate ao descarte do lixo ou qualquer outro material que possa acumular água, principalmente em locais externos, manutenção e tamponamento da caixa d’água, eliminação de sujeiras que possam entupir as calhas, monitoramento dos espaços onde existe o acúmulo da água despejada pelos aparelhos de ar condicionado.

“O hospital é um local onde pacientes, de todas as idades e gêneros, recuperam sua saúde e muitos profissionais permanecem por longos períodos do dia. Então seria um forte agravante para a qualidade na assistência se existisse um surto das doenças transmitidas pelo mosquito, tanto ao paciente que se recupera, como ao servidor que precisa cuidar da recuperação desse paciente. E isso também se soma a necessidade de dar melhor qualidade de vida a nossa população. Por tudo isso, nós instruímos aos nossos servidores que também combatam os potenciais criadouros”, afirmou a gerente-geral do HGE, Verônica Omena.

Fonte: http://www.cadaminuto.com.br/noticia/282701/2016/02/18/vigilancia-epidemiologica-inspeciona-hospital-geral-do-estado


Para maiores informações Clique aqui

Os conteúdos das matérias não refletem necessariamente a opinião do Qualindoor.




Voltar
ABRAVA - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento
Qualindoor - Departamento Nacional da Qualidade do Ar Interno

    Av. Rio Branco, 1492, São Paulo, SP, CEP 01206-001, Fone (11) 3361 7266